Páginas

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

DOENÇAS DO MUNDO


"Uma menina questionando o mundo"...

A obra mais famosa de Quino é a tira cômica Mafalda, publicada entre os anos 1964 e 1973. Editada em tiras nos jornais, Mafalda questionava todos os problemas políticos, de gênero, e até científicos que afligiam sua alma infantil e, ao mesmo tempo, refletia o conflito que as pessoas da época enfrentavam, sobretudo com a progressiva mudança dos costumes e a já incipiente introdução da tecnologia no cotidiano.
Apesar de ter sido interrompida ainda no começo dos anos 1970
, Mafalda possui uma legião de fãs, e o trabalho de Quino ainda tem o merecido reconhecimento internacional, como um dos maiores cartunistas do mundo. Quino criou vários personagens a personagem mais famosa é Mafalda.

Objetivo: "Analisar diferentes tipos de argumentos que sustentam uma argumentação textual."

Na TP6 tem várias atividades ótima, no entanto, não achei apropriadas para os meus alnos do 7º ano, por isso, escolhi a atividade da aula 3 da AAA6, atiidades de apoio à aprendizagem.

Os alunos leram a tira da Mafalda e identificaram os diferentes argumentos do texto. Fiz uma atividade oral de discução das perguntas, antes dos alunos fazerem as atividades propostas, para que eles pudessem resgatar passo a passo as infomações da história, depois, desenvolveram os exercícios.

No avançando na prática, em grupo, escreveram um texto argumentativo sobre as "DOENÇAS DO MUNDO".

Encontraram muitas dificuldades na produção dos argumentos pois, não tinham estuado ainda dissetação, tive que ajudá-los a rganizar a idéias no texto.

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

DINÂMICA: NOTA 10!!!


HISTÓRIA DO BONECO DE BORRACHA



Objetivo: adquirir consciência corporal, lateralidade e equilíbrio.



- Era uma vez um boneco de borracha que ficava de todos os jeitos com o corpo, mas não falava, não fazia barulho e mexia-se bem devagar.


- Ele gostava de passear no jardim olhando as flores coloridas, os pássaros, as borboletas e as abelhas que voavam no alto.


- De repente, veio um vento forte...Nossa! O boneco de borracha ficou torto e agora ele anda todo torto, virado só para um lado. E assim ele continuou o passeio. Ufa! O vento parou, e ele então voltou ao normal. Agora ele conseguia andar tanto para frente como para trás.


- O vento voltou de novo. Ai, ele entortou-se para frente e anda olhando para baixo. Parece até que procura alguma coisa no chão.


- Mas de repente, o vento mudou de direção e fez o boneco entortar-se para trás. Agora ele só vê o que está lá no alto: O céu, os pássaros e as borboletas.


- Finalmente o vento parou de vez. O boneco de borracha endireitou-se e continuou o passeio observando tudo que estava ao seu redor.


- Engraçado é que quando o boneco de borracha chegava perto de uma árvore ficava bem magrinho e bem comprido, do tamanho da árvore. Então o boneco andava elegante, esticado e comprido, quase alcançando o céu.


- Quando chegava perto de uma roseira e sentia o cheiro das rosas, o boneco ficava todo gordo e pesado, como um elefantinho. Para andar, até fazia um barulhão.


-Ah! O boneco de borracha estava cansado de tanto passear. Então ele deitou-se no chão para descansar e... surpresa! Ele ficou pequenininho, encolhidinho. Podia até caber numa caixa de sapato. Bem pequeno mesmo.


- De repente crescia, crescia, espalhava-se para todos os lados, crescia, crescia e crescia. Crescia tanto que ocupava um grande espaço no chão.


-Ficava pequeno de novo, pequeno, pequeno, bem pequeno e adormecia todo pequenininho.


- Até que amanheceu o sol. O boneco de borracha, que estava quietinho, foi se mexendo devagar, esticando-se para todos os lados, esticando os pés, as pernas, o tronco, os dedos, as mãos e os braços.


- Ele levantou-se e virou gente, agora sim, ele consegue conversar, falar bem baixinho, com quem está perto dele.


- Essa é a história do boneco de borracha que virou gente.